Bem-vindo

A Tirreno Finanças e Negócios Ltda foi idealizada para prestar a melhor e mais segura consultoria de análise do mercado de recebíveis, construindo parcerias duradouras e seguras.

Com o objetivo de atender com exclusividade aos clientes do Fundo Treviso Multissetorial, a Tirreno oferece consultorias personalizadas, visando a excelência e transparência das informações necessárias para a viabilização de recursos, concessão de crédito, antecipação de contratos e securitização de recebíveis às empresas do segmento Middle Market.

Notícias do mercado

• Brasil deve voltar a lista preliminar de violações de convenções trabalhistas da OIT


Não há sanções como retaliação, mas pode haver pressão política para o país se enquadrar Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.
Mon, 19 Apr 2021 18:50:31 -0000

• Ninguém deveria tentar se perpetuar em um cargo, diz novo presidente do conselho do Credit Suisse


Dez anos após assumir comando do Lloyds em meio à crise que abalava instituição, António Horta-Osório aceita novo desafio ao substituir Urs Rohner enquanto escândalos no banco suíço se acumulam A última vez que António Horta-Osório assumiu um novo cargo, mergulhou no meio de uma crise que abalava o maior banco de crédito hipotecário do Reino Unido. Dez anos depois, o executivo enfrenta um desafio ainda mais difícil. De sua residência em Kensington, oeste de Londres, o atual CEO do Lloyds Banking se prepara para assumir a presidência do conselho do Credit Suisse em maio, substituindo Urs Rohner enquanto os escândalos no banco suíço continuam a se acumular. “Temos que continuamente tentar enfrentar novos desafios”, disse Horta-Osório em entrevista à Bloomberg TV nesta segunda-feira. “Caso contrário, começamos a decair.” O banqueiro português assumiu o posto de CEO do Lloyds em 2011 e começou a trabalhar para resolver os problemas criados pela aquisição tóxica do HBOS, que resultou em um resgate de 20,3 bilhões de libras (US$ 28 bilhões) durante a crise financeira. Ao longo de sua gestão, o executivo cortou milhares de empregos e bilhões de libras em custos, fechou unidades no exterior e restaurou a rentabilidade e o total controle privado do banco. Agora, ele chega à Suíça em meio a uma crise de confiança. No mês passado, o Credit Suisse registrou baixa contábil de 4,4 bilhões de francos suíços (US$ 4,8 bilhões) e, desde então, viu a saída de vários altos executivos devido aos negócios com a Archegos Capital Management, semanas após o colapso da Greensill Capital. Dividendos foram cortados e recompras de ações suspensas. Analistas projetam mais perdas e possíveis multas. O valor de mercado do Credit Suisse encolheu cerca de 20% desde que apontou pela primeira vez problemas com a Archegos em 29 de março. Horta-Osório “é exatamente o que o Credit Suisse precisa”, disse David Herro, da Harris Associates, que investe em ações do Lloyds e Credit Suisse há mais de 10 anos. “Ele sempre cumpriu suas promessas e comandou os detalhes.” Em Zurique, o executivo deve se concentrar em se retirar de negócios de alto risco e baixo retorno, preservando talentos e controlando custos e riscos, disse Herro. O banco suíço tenta descobrir o quanto sua liderança sabia e controlava esses riscos dos clientes. O comando de Horta-Osório, mesmo dos menores detalhes, pode ser valioso. No Lloyds, ele tinha conhecimento profundo de cada empréstimo importante, cliente corporativo e linha de negócios, disseram pessoas que trabalharam com ele. Como líder, valoriza a lealdade, juntamente com o respeito à hierarquia e aos processos estabelecidos, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. O novo cargo traz Horta-Osório de volta a um banco de investimento após 15 anos focado em varejo, e retira o executivo da linha da frente para o papel de presidente do conselho. E, embora o Lloyds tenha evitado grandes aquisições nos últimos anos, acordos em breve poderão estar no topo de sua agenda na Suíça. Horta-Osório trabalhará ao lado do CEO Thomas Gottstein, um banqueiro de longa data do Credit Suisse que assumiu o comando há 14 meses. “É função do presidente do conselho avaliar o desempenho do CEO”, disse Jamie Risso-Gill, diretor-gerente da empresa de recrutamento de executivos Per Ardua Associates, em Londres. Competitivo Horta-Osório e Gottstein têm 57 anos e ambos são formados em administração de empresas. No papel, pelo menos, as semelhanças terminam aí. Antes de trabalhar no Lloyds, Horta-Osório dirigiu a unidade britânica do Banco Santander, além de ter atuado nos Estados Unidos, Portugal e Brasil para diversos bancos. Também tem fortes laços com Lisboa, sua cidade natal, para onde costumava viajar frequentemente. Horta-Osório gosta de mergulhar nas férias e de beber chá verde. Jogador de tênis competitivo, ele jogava todas as quartas-feiras no Queen’s Club, perto de sua casa em Londres. Horta-Osório deixa o Lloyds como um dos CEOs do setor bancário mais duradouros da Europa, após uma década turbulenta para o segmento. Isso é tempo suficiente, disse. “As pessoas não deveriam tentar se autoperpetuar nos cargos”, afirmou. “É bom para as empresas terem uma nova perspectiva.” António Horta-Osorio, novo presidente do conselho do Credit Suisse Chris Ratcliffe/Bloomberg
Mon, 19 Apr 2021 18:44:44 -0000

• BR Angels atrai novos investidores e quer ampliar apoio a startups

Grupo pretende encerrar 2021 com R$ 45 milhões para apoiar startups O BR Angels, associação nacional formada por executivos de diferentes setores e com foco em investimentos-anjo, informou que acaba de estruturar sua terceira rodada de atração de investidores. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.
Mon, 19 Apr 2021 18:42:19 -0000

• Funcionários da LG suspendem greve e negociam permanência de fábrica em Taubaté


Após uma semana em greve para pleitear indenizações trabalhistas melhores, 700 funcionários da fabricante sul-coreana de eletroeletrônicos LG Electronics, em Taubaté (SP), retomaram hoje as atividades de produção de computadores, monitores e celulares na unidade.Enquanto retomam a produção, os trabalhadores aguardam uma nova rodada de negociações entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) e a LG, esta semana. A negociação inclui, agora, a permanência das unidades de computadores e notebooks em Taubaté.O Sindmetau informou que o Tribunal Regional do Trabalho se comprometeu, na semana passada, “a fazer uma reunião com todos os poderes públicos, com um diretor executivo da LG com poder de decisão, para tentar reverter a situação dos monitores e notebooks”.No início do mês, LG anunciou sua saída do mercado global de celulares, após um prejuízo de US$ 4,1 bilhões com a divisão, e o fim da produção de aparelhos no país. A empresa também decidiu transferir a fabricação de computadores e monitores de Taubaté para Manaus (AM).A fábrica da LG em Taubaté emprega 400 pessoas na produção de celulares, que será encerrada, além de 300 pessoas na fabricação de computadores (notebooks e computadores de mesa) e outras 300 em call center.A LG informou que a área de call center não será desativada e a unidade segue trabalhando sem paralisações.A produção de celulares ainda conta com três empresas terceirizadas na região, que empregam outras 430 pessoas, no total. As empresas BlueTech e 3C, de Caçapava (SP), e a Suntech, de São José dos Campos (SP).Conforme informou o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região (Sindimetal), os funcionários das três empresas terceirizadas, sendo 90% mulheres, seguem em greve desde o dia 6 de abril. A fábrica da LG em Taubaté (SP) emprega 1 mil funcionários, 400 dedicados à fabricação de celulares, segundo o sindicato dos metalúrgicos da região Reprodução/TV Vanguarda
Mon, 19 Apr 2021 18:39:39 -0000

• Elevação de tarifas na Europa acerta Harley-Davidson em cheio


A montadora americana tem sido uma das vítimas das recentes disputas comerciais depois que a UE impôs uma tarifa de 25% sobre suas motos e outros bens vindos dos Estados Unidos em 2018 A Harley-Davidson foi impactada por uma decisão da União Europeia sobre importações que, segundo a fabricante de motocicletas, irá impor um grande aumento de tarifa sobre seus produtos e poderia tornar a competição inviável no continente europeu. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.
Mon, 19 Apr 2021 18:38:44 -0000

Mercado

MoedaR$
Dólar (PTAX)
Compra
5,5744
Venda
5,575
Dólar
Compra
5,5684
Venda
5,569
Euro (PTAX)
Compra
6,7043
Venda
6,7067
Euro
Compra
6,6971
Venda
6,6995

Fonte: Banco Central Brasileiro